domingo, maio 13, 2007

Quinta Edição




A quinta edição do "Calcinhas ao Léo" vem toda bordada de açúcar. É que comovidas com o mês das noivas, resolvemos ceder e mostrar um lado nosso mais frágil e romântico, que não é, necessariamente, o mais interessante. Mas como no jogo da sedução devemos usar todas as nossas armas, não deixaríamos de fora esta: a revelação do nosso desejo de amar e ser amada pelo próximo...da fila.
Outono no Rio de Janeiro é abençoado. A cidade fica vestida de dourados, de céu azul e brisa fresca, possibilitando trocar a cerveja pelo vinho e a boemia pura e simples, pelo abraço. Ele vai nos preparando, com uma vontade súbita que sentimos de desaceleração, para a famosa total carência que nos atinge a todos no inverno. É a vontade de que um outro corpo nos agasalhe ou que um edredom aqueça não um, mas dois corpos, preferencialmente quase ocupando o mesmo espaço, ou sendo mais didáticas: um por cima e, se possível, dentro do outro.
É por isso que lançamos aqui a campanha: "Diga não às calcinhas beges e sem costura, enormes e confortáveis. Adote uma calcinha de renda...ou várias".
Para você que ainda se assusta com a aparente auto-suficiência das mulheres interessantes, temos grandes revelações a fazer:

1—Nenhuma mulher é auto-suficiente ao ponto de preferir abraçar a si mesma.

2—Nenhuma mulher é fodona ao ponto de abrir sozinha um vidro de azeitonas sem xingar ou pensar em pedir ajuda ao porteiro

3—Nenhuma mulher é intelectual ao ponto de não querer, pelo menos uma vez na vida, passar a noite com o bofe gostoso que só terminou o segundo grau porque namorava a professora do supletivo.

4—Nenhuma mulher é tão mulher que não precise ou não queira ter alguém ao seu lado para compartilhar coisas, desabafar, fazer amor, conversar fazendo aquelas vozes irritantemente infantis ou para, simplesmente, projetar seus defeitos em alguém
.

Mulheres, num grau maior ou menor de exigência, gostam de homens que gostam de si mesmos. (Entendam que estamos falando de relacionamentos saudáveis). O que significa que, um homem que gosta de si, se cuida, se higieniza, se interessa por ela, pela vida dela, se instrui, lê, têm hábitos razoavelmente saudáveis, é incapaz de ser grosseiro, não é egoísta, planeja coisas a dois, joga limpo, se atualiza, se observa, respeita e faz sexo direitinho.

2 comentários:

Márcia do Valle disse...

Minha primeira visita aqui e estou adorando! Ainda dou minha contribuição: nenhuma mulher é feminista o suficiente para achar que deve revezar com um homem para decidir quem vai trocar o pneu. Ahahah!

Soraya Maria Leite disse...

Parabéns pela originalidade, criatividade e humor!!!! Continuem escrevendo e muiiito para nos deliciarmos com sua criatividade....as mulheres agradecem....